Ilha da Tasmânia

Ilha da Tasmânia

Ilha da Tasmânia – Austrália

A Tasmânia é uma ilha e um estado da Austrália localizado a 240 km da costa sudeste da Austrália continental, separado pelo Estreito de Bass. Possui uma área total de 68 401 km², composta pela ilha da Tasmânia (a 26.ª maior do mundo) e 334 ilhas adjacentes e dos quais cerca de 45% consistem de reservas naturais, parques nacionais e Patrimonios Mundiais. A sua população é de 519 100 habitantes, a maioria concentrada na região de Grande Hobart, a área metropolitana da sua capital. Devido a um erro no seu mapeamento, o estado possui uma fronteira terrestre com o estado de Vitória no ilhote de Boundary. Os ilhotes Bishop e Clerk, 37 km a sul da ilha Macquarie, são o ponto mais austral reconhecido internacionalmente do estado e do país. Outros grandes centros populacionais são Launceston, Devonport e Burnie.

Acredita-se que os aborígenes estivessem presentes na ilha nos 40 000 anos anteriores à colonização britânica, separando-se dos restantes grupos continentais há cerca de 10 000 anos aquando da criação do Estreito de Bass pela subida do nível do mar. A população aborígene rondava os 3 000 a 7 000 indivíduos à época da colonização, mas foi praticamente dizimada em 30 anos devido a uma combinação de conflitos (com os colonizadores — a Guerra Negra — e entre tribos) e doenças infecciosas para as quais não possuíam imunidade. O conflito, que atingiu o seu auge entre 1825 e 1831 com a declaração da lei marcial, levou à morte de 1 100 indivíduos entre aborígenes e colonizadores e levou a um debate entre historiadores quando à sua classificação como genocídio.

O estado foi criado em 1803 enquanto colônia penal do Império Britânico de modo a evitar possíveis reivindicações territoriais dos franceses durante as Guerras Napoleônicas. Para a colônia foram enviados cerca de 75 000 presos até 1853. Inicialmente parte da Nova Gales do Sul, tornou-se uma colônia independente com o nome de Terra de Van Diemen em 1825. Em 1854 foi aprovada a Constituição da Tasmânia, permitindo a mudança para o nome atual no ano seguinte. Em 1901 transformou-se num estado através do processo de Federação da Austrália.

Pertence à Austrália, mas orgulha-se das suas notórias diferenças. Abriga montanhas espectaculares como as Cradle, belíssimas baías como a Wineglass, lagos como o St. Clair, uma atractiva costa escarpada por toda a ilha, cidades aprazíveis como Hobart ou mesmo Launceston e ainda pinguins e o inevitável diabo. Aqui fica o retrato de uma viagem à ilha da Tasmânia.

Separada da Austrália continental pelos 240 quilómetros do estreito de Bassin, a Tasmânia é um território distinto do resto da Austrália. Longe da aridez do outback e das populares praias e recifes de coral da costa leste australiana, a Tasmânia destaca-se pela pureza do ambiente, pela beleza agreste das suas paisagens de solo fértil, pela costa escarpada que circunda boa parte da ilha e deixa o mar perto mas longe, pelos lagos e montanhas que fazem as delícias dos caminheiros. “Um mundo à parte”, como gostam de referir os naturais do estado mais a sul da Austrália.

A própria capital de Estado, Hobart, de apenas duzentos mil habitantes, é uma cidade com charme e que vale a pena desvendar. O bairro residencial de Battery Point, com as suas casas térreas e cafés intimistas, confere um toque de elegância ao burgo.

Uma excelente área para passeios pedonais descontraídos pese embora o clima um pouco instável de quase toda a ilha – e Hobart não é excepção -, que varia rapidamente do soalheiro para o frio e chuvoso, e vice-versa.

Não obstante, a zona preferida dos visitantes está situada um pouco mais próxima da área ribeirinha: a praça Salamanca. A praça e toda a esfera envolvente, centro pedonal da cidade, transmitem grande serenidade e beleza. Os edifícios são antigos, de grossas paredes de pedra e fachadas bem preservadas, majestosos.

Ao sábado de manhã, a azáfama toma conta de Salamanca, por alturas do mercado de rua semanal, quando turistas e habitantes locais para lá convergem em busca de pechinchas e petiscos. Uma altura perfeita para conhecer, olhando para além das habituais mercadorias para turista comprar, um pouco das tradições regionais em forma de frutas e doçarias, livros em segunda mão, roupas e tecidos, utensílios de madeira e artefactos de mil utilidades.

ilha-da-tasmânia

Parques naturais, montanhas e lagos da Tasmânia
Com mais de 2.000 quilómetros de trilhos marcados e dezoito parques nacionais, a Tasmânia oferece condições únicas para os amantes de um turismo mais activo, em contacto com a Natureza, caminhando por montes e vales inacessíveis de outra forma. Os sítios mais procurados para o efeito são as estonteantes montanhas Cradle, onde grupos de viajantes efectuam caminhadas de vários dias por trilhos distantes da civilização e de lá saem invariavelmente maravilhados. E o lago St. Clair, uma das paisagens mais belas da ilha, localizado no homónimo Parque Natural.

ara os menos aventureiros ou em menor forma física, há outras opções a considerar. Uma visita ao Parque Natural Freycinet, por exemplo, famoso pela atractiva Wineglass Bay, um nome atribuído devido à geografia dos contornos da baía que, com alguma boa vontade, se assemelha a um copo de vinho.

Ou uma visita às colónias de pinguins que habitam a região de Bicheno, embora nem sempre o bom-senso impere, entre os turistas, no contacto com as simpáticas criaturas.

Visitar a Tasmânia, mais do que proporcionar umas relaxantes férias de Verão, é uma experiência sensorial. O Turismo da Tasmânia promove a ilha com recurso a uma provocadora pergunta: ”Se fizessem um filme da sua vida, alguém compraria bilhete?” Aqui fica o desafio.

Guia prático
Este é um guia prático para viagens à Tasmânia, com informações sobre a melhor época para visitar, como chegar, pontos turísticos, os melhores hotéis e sugestões de atividades na capital da Tasmânia.

Como chegar à Tasmânia
Voar para uma das grandes cidades do sul da Austrália – Melbourne, Adelaide ou Sydney (preços a rondar os 1.000 €, mais taxas). A partir daí, a forma mais rápida e económica de se chegar à Tasmânia é voar com uma das linhas aéreas de baixo custo que surgiram no país no último par de anos. A Jetstar e a Virgin Australia (antiga Virgin Blue) são apostas seguras, embora ocasionalmente surjam relatos de atrasos de várias horas nas partidas dos voos. Um voo de Sydney para Lauceston pode custar menos de 50 €; de Melbourne ou Adelaide para Hobart, ligeiramente menos. Se preferir a via marítima, mais demorada e quase sempre mais cara, há ferryboats da Spirit of Tasmania que ligam Melbourne e Sydney a Davenport, no norte da Tasmânia.

Onde ficar
Há inúmeras e diversificadas opções, dependendo do orçamento e das regiões que visitar. Nas cidades e vilas, opte por um hotel histórico, um intimista Bed & Breakfast ou, dispondo um orçamento mais apertado, por uma das várias pousadas para “mochileiros” existentes, por exemplo, na capital Hobart. Em zonas rurais e de montanha, existem agradáveis chalés coloniais e refúgios de montanha que podem constituir uma excelente opção. Se levar tenda de campismo, acampar é outra hipótese a considerar, quer durante os trekkings pelo interior da ilha, quer nas zonas próximas do mar.

 

 

Tasmania-Australia bh

Localização da Tasmânia na Austrália.

Fundação 1825 (estabelecido)
1856 (governo responsável)
1901 (estado)
Capital Hobart

Administração

– Tipo Monarquia constitucional
– Governador Kate Warner
– Premier Will Hodgman

 

 

Área

– Total 68,401 km²
– Terra 67.031 km²
– Água 1.370,42 km²

População (2016)

– Total 519 100
• Densidade 7 589,1 hab./km²
Gentílico: Tasmanian

Fonte: Wikipédia

 

 

Monte seu Roteiro
Nós oferecemos o pacote e você pode montar o roteiro como quiser.